top of page
  • Foto do escritorNetconn Netconn

A Importância do SOC na Sua Empresa

Atualizado: 16 de mai.

Equipe de SOC

Centro de Operações de Segurança (SOC)

Um centro de operações de segurança, conhecido também como SOC, é o quartel general para as operações da equipe de segurança, onde centralizam o monitoramento, a detecção e respondem a problemas e incidentes de segurança, podendo ser físico ou virtual. De modo mais direto, podemos pensar em SOC como uma sala de guerra organizada e dedicada à Segurança, podendo ser estruturado internamente, gerenciado ou co-gerenciado e terceirizado.


Por que toda empresa precisa de um SOC?

As organizações estão perpetuamente expostas a ameaças cibernéticas, sem distinção de porte ou setor. Os hackers sempre estão em busca por vulnerabilidades e dados de valor, um ataque bem-sucedido pode acarretar o furto de informações sensíveis, na interrupção das operações, perdas financeiras e danos irreversíveis à imagem corporativa.


Contar com uma equipe de SOC é essencial para assegurar a proteção e a continuidade das operações empresariais. Além de monitorar e identificar ameaças em tempo real, o SOC desempenha um papel crucial na prevenção, através da análise de vulnerabilidades, implementação de políticas de segurança e atualizações de sistemas. Ele adota uma abordagem proativa para a segurança da informação, identificando e remediando fragilidades antes que sejam exploradas por agentes maliciosos.


Como funciona um SOC?

Um SOC realiza uma variedade de tarefas complexas relacionadas à segurança, mas acima das atividades diárias, sua principal função é servir como um centro estratégico para manter a equipe informada sobre desafios maiores e tendências de segurança a longo prazo.


Preparação, Planejamento e Prevenção


Inventário de ativos

O Departamento de Segurança Operacional (SOC) deve manter uma lista rigorosamente atualizada de ativos em sua organização, abrangendo não apenas aqueles dentro de seu perímetro de controle, como aplicativos, bancos de dados, servidores, serviços em nuvem, endpoints, entre outros, mas também aqueles sob custódia de terceiros. Além disso, é crucial incluir dispositivos e softwares de proteção, como firewalls, ferramentas antivírus, anti-malware, anti-ransomware, software de monitoramento, e outros recursos relevantes para a segurança da infraestrutura. Esta prática assegura uma visão abrangente e atualizada do ambiente de segurança da informação, proporcionando uma base sólida para a implementação e manutenção de medidas de proteção eficazes.


Manutenção e preparação de rotina

Para garantir o funcionamento eficiente das operações do SOC, é essencial realizar uma manutenção contínua de todas as ferramentas e rotinas de segurança implementadas. Nesse processo de manutenção preventiva, buscamos aplicar correções e atualizações de segurança, realizar upgrades de softwares e realizar atualizações contínuas em firewalls, whitelists, blacklists, políticas e procedimentos de segurança. Essas práticas garantem que o SOC esteja preparado para lidar com as ameaças emergentes e mantenha um alto nível de proteção para a organização.


Backups Inteligentes

O planejamento e otimização de rotinas de backups são uma importante medida impulsionada pela equipe de SOC, onde eles irão criar backups de sistemas, auxiliar na construção de procedimentos ou normas de backup, tornando possível a prevenção de perdas em caso de violações de segurança, como ataques de ransomware ou outros incidentes de segurança.


Plano de Resposta a Incidentes

O planejamento e resposta a incidentes são responsáveis pelo desenvolvimento de procedimentos de resposta a incidentes, os quais definem atividades, funções e responsabilidades ao enfrentar uma ameaça. Nestes planos, é crucial incluir métricas para avaliar o sucesso de qualquer resposta a incidentes. Um modelo básico de Plano de Resposta a Incidentes (PRI) deve abranger seis etapas, a saber:


1. Preparação

2. Identificação

3. Contenção

4. Erradicação

5. Recuperação

6. Lições aprendidas


Cada uma dessas etapas desempenha um papel fundamental na gestão eficaz de incidentes de segurança, permitindo à organização responder de forma rápida e eficiente para minimizar danos e prevenir futuros incidentes semelhantes.


Pentest Contínuo

O Time de SOC deve realizar avaliações contínuas de seus recursos, ameaças em potencial, além dos custos associados. Para ter esta visão Pentest ou teste de penetração que visam simular ataques em sua rede afim de detectar pontos de melhoria a serem aplicados. Esses testes também trarão mudanças nas aplicações, políticas de segurança, boas práticas, plano de resposta a incidentes, o que resultará em uma postura de segurança cada vez mais assertiva e eficiente.


Monitoramento, Detecção e Resposta

O SOC deve implementar rotinas de monitoramento constante de sua infraestrutura, auxiliados por soluções de SIEM, analistas e outros profissionais devem detectar inconsistências em aplicativos, servidores, softwares do sistema, dispositivos de computação, cargas de trabalho em nuvem/cloud.


SIEM (Security Information and Event Management)

SIEM são soluções para monitorar alertas e telemetria de softwares e hardwares em tempo real. Seu objetivo é trazer uma visão holística de tudo a todo o tempo em uma rede privada.


A coleta de dados feita por um SIEM parte da mineração de logs e eventos de sistemas hosts, dispositivos de segurança e aplicativos, centralizando eventos de um antivírus a os logs de um firewall em uma única plataforma. Além disso, o software de SIEM classifica os dados e atribui a categoria correta a cada um deles, como Atividade de Malware, Logins malsucedidos etc.

Quando identificada uma atividade suspeita, o SIEM solta um alerta. Esses alertas são automaticamente priorizados pelo SIEM conforme regras predefinidas. Veja estes exemplos:


  • São registradas 5 tentativas de login malsucedidos em 10 minutos, neste caso é disparado um alerta de baixa prioridade, pois as regras determinam que possivelmente seria apenas um usuário que esqueceu a senha.

  • Outro cenário similar seria 120 tentativas em 10 minutos, o que poderia resultar em um alerta de alta gravidade por ser provável de se tratar de um ataque de força bruta.


XDR (Extended Detection and Response)

Fornece telemetria e monitoramento mais detalhados, além da capacidade de automatizar a detecção e resposta a incidentes.


Detecção de Ameaças

O time de SOC dividem os falsos positivos das indicações de ameaças e invasões de hackers, para depois realizar a classificação das ameaças de acordo com sua gravidade. As soluções modernas de SIEM agora integram inteligência artificial (IA), automatizando tais procedimentos e se aprimoram com os dados ao longo do tempo, otimizando a identificação de atividades suspeitas.


Respostas a Incidentes

A equipe de SOC entra em ação para limitar os danos em resposta a uma ameaça ou incidente real. Por exemplo:


  • Investigam as vulnerabilidades que deram acesso ao sistema para o hacker, buscando a causa raiz.

  • Desativam ou isolam endpoints comprometidos da rede.

  • Separam as seções comprometidas da rede ou redirecionam o tráfego de rede.

  • Pausam ou interrompem aplicativos ou processos comprometidos.

  • Eliminam arquivos danificados ou infectados.

  • Utilizam programas antivírus ou anti-malware.

  • Desabilitam senhas para usuários internos e externos.


Recuperação, Refinamento e Conformidade


Recuperação

Uma vez que a ameaça é contida e eliminada pela equipe do SOC, o foco passa a ser trazer os ativos afetados para seus estados anteriores ao incidente, incluindo limpeza, restauração de tráfego de rede, reinício de aplicativos, processos, restauração de dados, reconfiguração de senhas e sistemas de backup.


Refinamento

Após o incidente, o SOC analisa o que aconteceu para evitar que se repita. Eles usam o que aprenderam para melhorar como lidam com falhas de segurança, atualizam seus métodos, escolhem novas ferramentas e revisam seu plano de ação. Além disso, eles tentam descobrir se o incidente revela uma nova tendência de segurança cibernética para a qual precisam se preparar.


Conformidade

O SOC é responsável por garantir que todos os sistemas, aplicativos e processos de segurança estejam em conformidade com as leis de proteção de dados, como LGPD, CCPA, PCI DSS e HIPAA. Após um incidente, eles notificam as partes relevantes conforme exigido pelas leis e armazenam os dados do incidente para fins de evidência e auditoria.


O que é necessário para implementar um SOC?

Para estabelecer um SOC, três elementos principais são necessários, quer seja internamente ou por meio de um fornecedor terceirizado:


1. Pessoas:

  • Compreensão das funções dos analistas do SOC para escolher a tecnologia certa.

  • Definição clara das responsabilidades da equipe do SOC e integração com outras equipes, como as de detecção e resposta a incidentes.

  • Distribuição clara das tarefas entre os analistas, considerando a automação quando possível.


2. Tecnologia:

  • Seleção de ferramentas para coleta e análise de dados, como logs, comportamento do usuário e ameaças em tempo real.

  • Consideração do ambiente de operação (nuvem, local ou híbrido), tipos de ameaças enfrentadas e requisitos de conformidade.


3. Processos:

  • Estabelecimento de processos para guiar pessoas e tecnologia, desde a validação até a comunicação e análise de métricas.

  • Flexibilidade para se adaptar a diferentes situações e garantir uma resposta eficiente e ordenada aos incidentes.


Esses elementos também se aplicam ao trabalhar com um provedor de SOC gerenciado, onde a comunicação, transparência e colaboração são essenciais para garantir o sucesso do SOC.

45 visualizações

Commentaires


Les commentaires ont été désactivés.

Fale Conosco

Outros Contatos:

+55 11 99435-8164

+55 (11) 3023-1500

R. Cunha Gago, 700 Pinheiros,
São Paulo - SP

RH & Curriculum

Suporte

bottom of page